Debate Sobre Diversidade Étnica Com Exibição De Vídeos

Retratos de artistas de rua de Curitiba, no Memorial de Curitiba, Largo da Ordem. Curitiba, 17/08/2015 Foto: Brunno Covello

Diversidade – Projeções de vídeos e debate

Em meio a uma conjuntura mundial em que imigrações acontecem não somente de forma voluntária, mas sempre por questões cruciais, como a garantia de sobrevivência, e que de um lado há aqueles que abrigam refugiados e de outro tem sido notória uma forte resistência em recebê-los, evidenciando, em alguns locais particulares, um sentimento crescente de xenofobia, é urgente que se traga debates e reflexões sobre a importância da diversidade étnica e cultural na construção e desenvolvimento de uma nação.

É importante salientar que a constituição dos povos das Américas se deu através de múltiplas culturas que, em processo migratório, foram se estabelecendo nessas terras, juntamente com povos locais e que, com o passar dos anos, influenciaram no comportamento, arquitetura, gastronomia e as tantas opções encontradas hoje em qualquer metrópole dos continentes.

No Brasil, a miscigenação foi intensa e tão carregada de costumes que hoje temos tombados vários patrimônios imateriais. As cidades e municípios trazem em si simbologias resultantes de processos imigratórios, tanto daqueles que vinham voluntariamente em busca de trabalho, como aqueles que, forçosamente, foram trazidos num sistema escravagista e que hoje representam tão fortemente a cultura brasileira.

Pensando em trazer essas e outras reflexões para a cidade, O Festival de Etnias – FOLCLORIZE – oferece um fim de tarde agradável e diverso, apresentando fragmentos de filmes que abordem a etnografia, e logo em seguida haverá um debate com especialistas na área de Antropologia, Sociologia, Folclore, História, Patrimônio Cultural e Fotografia Jornalística. Ambas as ações tratarão da questão étnica e da importância do folclore como, além de mantenedor de tradições, elo de receptividade e conexão das culturas, um fomentador cultural que representa e revela história e conhecimento.

TRECHOS DE FILMES (30 minutos):

  • Entrevistas com haitianos em Curitiba (da exposição Rekòmanse, de Bruno Covello)…
  • Fragmentos de episódios do documentário O POVO BRASILEIRO (de Darcy Ribeiro)

 

CONVIDADOS PARA O DEBATE (1 hora de debate):

BLANCA HERNANDO BARCO (Presidente da AINTEPAR – Associação Inter-Étnica do Paraná, e professora/coreógrafa de diversas escolas de danças espanholas em Curitiba; foi Presidente de la Casa de Andalucia; é Presidente del Centro Español de Paraná; organizou diversos encontros e apresentações de grupos étnicos e folclóricos no Paraná).

BRUNO COVELLO (Repórter/Fotojornalista, graduado em Jornalismo na PUC PR, autor de vários ensaios fotográficos e fotógrafo produtor da exposição Rekòmanse, que trata a questão da condição da imigração haitiana no Brasil, retratando o haitiano no Brasil e no Haiti. Filho de profissional e neto de amador, Brunno Covello traz a fotografia como herança de família. Fotojornalista, trabalhou durante 8 anos na assessoria da Prefeitura Municipal de Curitiba e por dois anos e meio integrou a equipe de repórteres fotográficos do jornal Gazeta do Povo. Atualmente, desenvolve um projeto fotográfico sobre a vida dos haitianos em Curitiba, bem como trabalhos comerciais e autorais. Principais realizações: Vencedor do prêmio Prix Photo Web 2014 com o ensaio “Carnaval de Rua do Onodi”; vencedor do Prêmio Fiep de Jornalismo 2014 na categoria de Fotojornalismo; finalista do Prêmio da Fundação Conrado Wessel 2014 com o ensaio “O Haiti é Aqui”; vencedor do prêmio nacional do MPT de Jornalismo 2015 na categoria fotojornalismo; menção honrosa do prêmio Pérsio Galembeck 2016; menção honrosa no concurso internacional “Miradas de Iberoaméricas MEMORIA Migrantes e Cultura” Edicion 2015; finalista do 20º e 21º concurso Latino Americano de Fotografia Documental “Os Trabalhos e os Dias”).

LORENZO GUSTAVO MACAGNO (Professor associado do Departamento de Antropologia, da Universidade Federal do Paraná. Realizou pós-doutorado no Departamento de Antropologia, da Universidade de Columbia. Foi pesquisador visitante no centro de pesquisas Les Afriques dans le Monde (LAM-CNRS)/SciencePo Bordeaux e no Centro de Estudos sobre África, Ásia e América Latina (CesA) da Universidade de Lisboa. É coordenador do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFPR e membro da diretoria da Associação Brasileira de Antropologia (gestão 2017-2018). Atualmente, escreve sobre história social e política da antropologia em contextos de colonização portuguesa e sobre uma diáspora luso-asiática (os sino-moçambicanos) presente, também, no Brasil. Etnicidade e política, colonialismo português na África, multiculturalismo e imaginações nacionais, são alguns dos seus temas de interesse.)

MARCIO SERGIO BATISTA SILVEIRA DE OLIVEIRA (Professor Titular de Sociologia da Universidade Federal do Paraná. Formado em Ciências Sociais pela Universidade de Brasília (1983), mestrado em Sociologia (1987) e doutorado em Sociologia (1993), pela Universidade de Paris V, com pós-doutorado em Sociologia (EHESS-MSH, Paris, 2008). Tem 5 livros publicados. É pesquisador do CNPq, membro do grupo “E/Imigrações: histórias, culturas, trajetórias” e líder do grupo de pesquisa “Estudos sobre Sociologia, multiculturalismo e migrações internacionais”. Foi Professor Convidado em 3 instituições de ensino na França, a saber. No Institut des Hautes Études en Amérique Latine (Universidade Paris 3, Chaire Amérique Latine (2011), Faculté d´Anthropologie et Sociologie da Universidade de Lyon 2 (2015) e no Institut Pluridisciplinaire d’Etudes Américains (Université Fédérale de Toulouse, 2016). Atua na área de Sociologia e Sociologia Política, nos seguintes temas: Migrações internacionais, Teoria sociológica, história da sociologia, processos sociais em perspectiva comparada (Brasil e países latino-americanos), com enfoque em cidadania, multiculturalismo, cidade e grupos étnicos e imigrantes em processos de integração e de exclusão. É membro da Sociedade Brasileira de Sociologia (Coodenador do GT MIgrações Internacionais) e da International Sociological Association.)

Mediador: ÉLISSON DE SOUZA E SILVA (Graduado e Mestre em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná; Produtor Cultural – foi curador e produtor de vários encontros e ciclos de conferências com abordagens em Ciências Humanas, Literatura e Reflexão; também graduado em Administração de Empresas pela Universidade Positivo. Atualmente elabora projetos artístico-culturais e sociais para a Unicultura.)

Serviço:
Data: 08 de julho às 16h30
Local: Teatro Londrina – Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79, Setor Histórico, São Francisco)
Valor: gratuito e aberto ao público (140 vagas). Retirar ingresso 30 minutos antes na bilheteria do teatro.